A importância da inovação tecnológica na construção

A inovação tecnológica é fundamental em todos os sectores de atividade e também no sector da construção. Porém são ainda poucas as empresas que, neste setor, investem em inovação. Porque nos devemos preocupar com isto e como podemos resolver este problema?

É do conhecimento comum que o sector da construção representa para o PIB nacional cerca de 4,5% . O imobiliário contribui para o PIB nacional 12,6 % (dados de 2019, Fonte Pordata).

Porém quem trabalha nestes dois sectores (imobiliário e construção) sabe que, apesar de sua importância para a economia nacional, o sector da construção continua atrasadíssimo quando o assunto é adopção de novas tecnologias.

Efectivamente, de acordo com a McKinsey , a construção civil é o segundo pior sector em digitalização e inovação. Perde apenas para a agricultura e caça.

O sector está atrasado quer ao nível da formação dos trabalhadores quer dos equipamentos usados. E está obsoleta também no que concerne aos equipamentos e recursos variados. No entanto, existe no mercado tecnologia capaz de mudar este quadro e criar disrupção no sector.

O que se pode fazer para incentivar inovação tecnológica?

Como tal, é necessário criar construtechs (startups da construção) para desenvolver soluções tecnológicas para  as diferentes fases da cadeia de valor na construção civil. Seja na fase de planeamento, desenvolvimento do projeto e até mesmo na gestão do imóvel ou da sua comercialização deverá haver lugar à inovação.

Inovação não apenas ao nível da tecnologia de produção mas também ao nível da formação técnica dos profissionais.

De facto, o sector é tradicional, no entanto é necessário que ele evolua. Tem de evoluir para ir ao encontro das expectativas dos compradores actuais. Os promotores imobiliários sofrem com custos de construção cada vez maiores. A tecnologia deve contribuir também para a redução destes custos. Mas não só: tornar os imóveis do futuro ecofriendly. É essencial que o sector da construção cause o menor impacto possível ao nosso planeta deve ser o foco da tecnologia.