Comprar ou arrendar casa?

Comprar ou arrendar casa é uma das perguntas que os jovens mais frequentemente fazem.

A resposta não é fácil pois depende de cada situação.

Mas a minha resposta costuma alicerçar-se no bom senso.

E o bom senso diz que, para um jovem que entrou recentemente no mundo do trabalho, o ideal é começar a sua vida minimizando o risco de ficar com uma dívida bancária e “preso” a um imóvel.

No início de vida podem surgir diversas situações que podem aumentar o risco de compra: desemprego involuntário ou, pelo contrário, uma nova oportunidade de emprego longe do local onde dispõe da sua habitação, aumento da família ou até uma compra precipitada de casa que se revele uma má escolha fruto da inexperiência na negociação ou na opção pelo produto mais adequado.

Se a decisão foi de compra, este jovem está “agarrado” a um produto. Tem, normalmente uma dívida à Banca, pode estar a pagar IMI, tem de pagar quota de condomínio.

Imagine um jovem que comprou casa em Lisboa mas fruto de uma mudança profissional tem de ir trabalhar para Setúbal: continua a ter todos estes encargos, vai passar a ter muito mais despesas em deslocações, quando, se pelo contrário tivesse arrendado, poderia optar por se mudar para uma casa mais próxima do local de trabalho poupando imenso dinheiro em custos de transportes e  tempo nas deslocações aumentando, assim, a sua qualidade de vida.

Por isso o nosso conselho é que entre 4 a 5 anos após o início da sua atividade profissional, a opção seja o arrendamento.

Após esse período, será uma opção pessoal.

O que significa uma compra

Não se deve encarar a compra de casa apenas como um gasto, mas como um investimento de longo prazo. O imobiliário é um investimento seguro. Certifique-se que ponderou bem a compra, quer em termos do imóvel, quer no que concerne ao investimento propriamente dito. Calcule quanto investiu de capitais próprios, qual a dívida à banca, qual o valor comercial do imóvel, qual o estado e localização do mesmo. Pois, apenas se a conjugação de todos estas variáveis tiver sido correctamente feita, poderemos falar de “investimento seguro”. Caso contrário, estaremos a falar de um mau investimento.

Esperamos que estas dicas tenham sido úteis à tomada de decisão quanto a comprar ou arrendar.

Se estiver interessado em comprar casa recomendamos que leia o artigo “Cinco cuidados a ter na compra de casa”